quinta-feira, 21 de maio de 2009

A METONÍMIA ROMÂNTICA DA DESCOBERTA


“Tengo que confesarte ahora
nunca creí en la felicidad
a veces algo se le parece
pero es pura casualidad”


Assim canta a mexicana por ‘voluntad’ Julieta Venegas em “Limon Y Sal”, primeira faixa de seu “Acústico MTV”. Até a tarde de ontem, nunca havia ouvido sequer falar desta cantora. Na tarde de hoje, descubro que a linda garota que me presenteou com este álbum tem até o DVD desta intérprete, que é apenas mediana, mas quando quer chegar ao paroxismo do romance, consegue!

Quero, inclusive, aproveitar a oportunidade para estabelecer uma relação entre a descoberta deste CD e um encontro estranhíssimo e necessário numa viagem de ônibus na noite de ontem. Descrição: estava eu e meus amigos de Gomorra (o Perfeito entre eles) a divertimo-nos no interior do referido veículo. Amava e divertia-me, como de praxe. De repente, percebo que um colegial deveras familiar entra no ônibus. Este chamava-se Ramon e tornou-se célebre em minha vida por ser o primeiro de meus amores a demonstrar um infinitésimo de recepção. Em dado momento de 2005, este jovem quase se permitiu retribuir o que sentia por ele. Três meses se passaram e seus amigos metaleiros e homofóbicos zombaram de nós. Ele se deixou levar, irritou-se e me irritou. Nunca mais quis falar comigo. Até que ontem, no tal ônibus, me dirigiu a palavra, “sem ressentimentos”. Quando os meus amigos desceram, fui conversar com ele, que pegou meu número de celular e me telefonou na madrugada, de maneira que conversamos deveras, sorrindo e gaguqejando como se fôssemos dois amigos envergonhados. Foi bonito!

Comentando o assunto com alguns amigos virtuais na manhã de hoje, recebi um estranho conselho: “não faça isso com teu atual amor, Wesley! Não aja de modo a sofrer futuramente. Não machuque quem está ao seu lado!”. Ele não conhecia o Perfeito. Entendera errado toda a situação (risos). Vou lá, portanto, explicar que tudo é muito diferente do que ele está pensando (risos), mas, só por precaução, dedico ao Perfeito o refrão da faixa 03 do álbum recém-descoberto:

“El presente es lo único que tengo
El presente es lo único que hay
Es contigo mi vida con quien puedo sentir
Que merece la pena vivir”


Voltando ao telefonema na madrugada: Ramon mostrou-se disposto a ser meu “amigo” novamente, desde que eu “me comportasse”, desde que eu não “confundisse” as coisas, desde que eu não “exagerasse”. Conhecendo-me como vocês me conhecem, não é difícil imaginar de que tipo de “exagero” ele está falando. Talvez ele tenha razão (risos)... E, não por coincidência, a faixa 09 do álbum da Julieta Venegas, “Lento”, fala justamente sobre uma situação similar. Repeti esta canção enésimas vezes nesta minha manhã de folga:

“Si quieres un poco de mí
Me deberías esperar
Y caminar a paso lento
Muy lento

Y poco a poco olvidar
El tiempo y su velocidad
Frenar el ritmo, ir muy lento, más lento.

Sé delicado y espera
Dame tiempo para darte
Todo lo que tengo”


Mas a melhor faixa do álbum é uma parceria entre esta cantora e a talentosa brasileira Marisa Monte. O nome da canção é “Ilusión” e diz o seguinte:

“Uma vez eu tive uma ilusão
E não soube o que fazer
Não soube o que fazer
Com ela
Não soube o que fazer
E ela se foi
Porque eu a deixei
Por que eu a deixei?
Não sei
Eu só sei que ela se foi

Mi corazón desde entonces
La llora diario
No portão
Por ella no supe que hacer
y se me fue
Porque la deje
¿Por que la deje?
No sé
Solo sé que se me fue

Sei que tudo o que eu queria
Deixei tudo o que eu queria
Porque não me deixei tentar
Vivê-la feliz

É a ilusão de que volte
O que me faça feliz
Faça viver”


Repetindo a frase de início: tenho que confessar que não acredito na felicidade, mas, às vezes, tudo se parece mera coincidência. Acho que boas coincidências me ocorreram nesta última semana. Fui feliz. Tive medo, mas foi bom. Que venham novas e boas coincidências!

Wesley PC>

Um comentário:

jonas-16 disse...

Julieta es encantante y ya cantó com Lenine una canción que se llama "Miedo", pero creo que a mi me gusta más la canción :ultima vez de lo cd limón y sal:

Alguna vez te dije que me quedava para simpre...

muy buenas canciones