quarta-feira, 10 de junho de 2009

AS CHANCES QUE SE PERDE, AS CHANCES QUE AINDA SE PODEM GANHAR...


Das ditas bandas ‘punk’ brasileiras, a paulistana Cólera é, de longe, uma das minhas favoritas. Infelizmente, porém, perdi a chance de conferir um de seus espetáculos na cidade de São Cristóvão, onde vivo. Soube depois que a platéia reagiu muito violentamente ao concerto, interpretando equivocadamente as letras pacifistas, políticas e protestantes das ótimas canções do grupo. De qualquer sorte, queria ter ido, para gritar insistentemente que o vocalista Redson cantasse a letra de “Meu Igual” em grego (μου ίση). Como não consegui, vai em português mesmo, que a letra é graciosa. Tomara que o Perfeito goste (risos):

“Sozinho não dá
Eu não vo aguentar
Vem meu igual...

Sozinho não dá
Eu não vo aguetar
Vem meu igual...

Seja qualquer cor
De onde for
Vem meu igual

Quando vamos (Jah)
Para o pogo (Jah)
Somos um só
Vem meu igual!

Ah ah ah ah ah ah ah ah
Vem meu igual”


Igual em grego = ‘homo’
WPC>

3 comentários:

Ay disse...

Wes, você tem cd deles?
Ousabe onde conseguir?


:*

Fábio Barros disse...

Junto com Inocentes, eles são meus preferidos daquela cena punk oitentista de São Paulo.

Pseudokane3 disse...

Eu tenho uns 4 ou 5 CDS dele aqui no computador...

Querendo, diz QUANDO!

WPC>