quarta-feira, 10 de junho de 2009

SÓ O QUE ME FALTAVA: EU VICIADO EM CINEMA ANTROPOLÓGICO!


Pois então! Um amigo me passou diversos filmes do cineasta Jean Rouch, morto em 2004, vítima de um acidente automobilístico numa de suas expedições etno-cinematográficas. Como os mesmos estavam em francês sem legendas, estou sendo obrigado a consumir tais filmes sem poder conversar com ninguém no plano real, dado que as únicas pessoas que viram tais obras são virtuais. Consumo sozinho, portanto!

Ontem à noite, vi “A Caça ao Leão com Arco” (1965), que mostra os périplos da tribo dos Songhay, em Níger, únicos que têm o direito de caçar leões que sejam considerados “assassinos” depois que extravasam uma quota pré-instituída de ataque ao gado tribal. No filme, acompanhamos crianças ouvindo a saga ‘gaway gawey’, narração de uma incrível caça a este felino. Em seguida, acompanhamos todos os processos prévios da caçada (preparação das flechas, do veneno, rituais de consagração sacrificial, etc.) e a caçada em si. Vemos hienas, coiotes e leoas morrerem diante das câmeras, lenta e dolorosamente. Numa das seqüências mais impressionantes, uma leoa “vomita a própria morte” e eu acompanhando passivamente aquilo como “cultura”. O filme é ótimo, mas repercutiu em meus sonhos:

No sonho que hoje tive, acompanhei minha amiga baiana Anne Rodrigues, que levava alguns filhotes de gato doentes a um Centro de Zoonoses precário. Lá, deparo-me com vários pintos sofrendo de calazar. Irritado com a covardia zoológica de minha amiga, tento convencer minha mãe a me deixar levar para casa os tais pintos. Ela não deixa. Fico muito enraivecido. O tempo passa, minha tristeza e fúria abrandam. Viajo para uma cidade do interior sergipano (talvez Malhador, novamente). Ao entrar numa igreja, deparo-me com Anne Rodrigues, nua, me pedindo desculpas. Beijo-a, diante do Perfeito. (...) Acordo!

Senti uma estranha melancolia (e um igualmente estranho desejo erótico amistoso) o restante da manhã...

Wesley PC>

Um comentário:

Leno disse...

mas Anne não tem jeito né, olha como ela penetra seu sonho. kkkkk