domingo, 9 de novembro de 2014

“APROVEITEI E DORMI OITO HORAS SEGUIDAS, COMO OS MÉDICOS RECOMENDAM E OS VAGABUNDOS ACATAM”...

Não é o meu caso! Nos últimos dias, por razões de sobrevivência financeira, dormi muito pouco. Isso, porém, não me impediu de sonhar: na madrugada de ontem para hoje, sonhei que entregava ovos para uma amiga fã de egiptologia, quando percebo que um deles continha um pintinho germinado, moribundo, prestes a morrer, caso eu não encontrasse a metade superior de seu umbigo, quer estava grudado na casca do ovo. Acordei, levantei, fui ao banheiro, mijei, voltei, deitei e dormi de novo...

No segundo sonho, eu estava numa cadeira de dentista. Tencionava adiar o dia de uma consulta para limpeza odontológica, mas o profissional da saúde bucal surgiu de jaleco, decidido a fazer o meu tratamento naquele exato instante. De repente, eu estava pedindo para um amigo por quem fui/sou eternamente apaixonado que ele me gravasse alguns filmes (bergmanianos?) num DVD. Ele recusou-se, alegando que eu me apaixono demais, o tempo inteiro... Acordei frustrado, preocupado, pensando nisto!

Queria ver um filme do Alberto Pieralisi [“O Enterro da Cafetina” (1971)], mas eu tinha que trabalhar. Alguns dias antes, vi “Memórias de um Gigolô” (1970), colorido e divertido, cujo protagonista, ao narrar as peculiaridades de sua vida num bordel, pronuncia o libelo cafajeste que intitula esta publicação. Sinto-me cansado, acho. Por isso, esta confusão (pós-onírica) toda...

Wesley PC>

2 comentários:

Gilberto Carlos disse...

Também queria dormir 8 horas todas as noites, mas infelizmente não dá. Gosto muito de O enterro da cafetina e de Memórias de um gigolô, apesar de no início ter um pouco de resistência a Jece Valadão, mas já passou...

Gomorra disse...

Em MEMÓRIAS DE UM GIGOLÔ, Jece Valadão me surpreendeu (risos). Mas entendo e concordo contigo.

WPC>