quarta-feira, 21 de agosto de 2013

AS PELES SOB AS UNHAS DA MÃO DIREITA DE WESLEY ESTÃO DOENDO: A NECESSIDADE DE SEXO ORAL TEM ESSE TIPO DE CONSEQÜÊNCIA. É O DE MENOS!

Dá trabalho abrir o botão da calça preta de um homem com barriga proeminente que não se dispõe a levantar quando há alguém ávido para sugar o seu pênis ajoelhado diante da cadeira plástica onde ele se encontra. Se, por um lado, isso é muito sensual, no que tange à fomentação desejosa (“deixe que eu faço tudo!”, eis o que se pensa nestas horas), por outro, tem seus efeitos colaterais, as dores que perduram após o gozo... Mas valeu a pena, oh, como valeu a pena!

Depois que este episódio ocorreu, esta imagem do filme “Tentação na Cama” (1984, de Ody Fraga) me voltou à mente. É um filme ruim, com o célebre diretor e roteirista já declinante, frente à emergência do sexo explícito na Boca do Lixo paulistana, mas o narcisismo do protagonista David Cardoso valorizou o ingresso ao exibir o seu pênis debaixo do chuveiro numa cena de nudez muitíssimo bem justificada: o seu personagem está manco, andando de muletas. Precisa de ajuda. Quem o auxilia é a sua empregada, mais velha e moralista, que revira os olhos para não se deparar com aquele órgão sexual masculino ponto para ficar em riste a qualquer momento. Foi o que aconteceu comigo enquanto espectador...

Voltando à anedota real do primeiro parágrafo: apesar dos dedos que doem, as eructações com sabor de esperma e o gemido audível do rapaz que ejaculou em minha boca pagaram, com louvor, os ônus da luta indumentária: e amanhã é o dia de minha qualificação de Mestrado, ufa!


Wesley PC> 

Um comentário:

ADEMAR AMANCIO disse...

Queria muito ver este filme do David Cardoso,principalmente na tela grande.Quanto ao sexo bocal,quem pratica fica satisfeito?No meu caso não,a ansiedade só aumenta.