domingo, 10 de outubro de 2010

EMULANDO HERMANN NITSCH...

Para começo de conversa, ele ainda está vivo: Hermann Nitsch, nascido na Áustria em 1938, ainda está vivo, mas ainda incompreendido pelos exegetas que se escandalizam diante de sua expressão artística regada a muito sangue e desespero metafórico e literal, não obstante ele ter sido convidado para desenhar os cenários de uma ópera conceituada em 1995. Tornado famoso (e admirado por mim) quando filiou-se a Otto Mühl, Rudolf Schwarzkogler, Günter Brus e Kurt Kren no movimento conhecido como Actionistas de Viena na década de 1960, este artista não raro sacrificava animais em prol de suas orgias eróticas travestidas de Arte. Era arte aquilo mesmo? Alguns meus diziam que NÃO. Eu reagia de forma descontrolada a aquilo, mas hoje o grupo está diluído: Alguns faleceram (um deles, ao castrar o próprio pênis, num ato público), outros isolaram-se numa comuna vegana européia, visando à expiação política e moral pelos sacrifícios morais que perpetraram no passado, quando sentiam o afã por expressarem o mal-estar orgânico que os tomava ao residirem nas circunvizinhanças dos campos de concentração nazistas. Mais ou menos isso...

Esta introdução é uma forma de agradecer a quem quer que tenha me apresentado a um rapaz de nome João Paulo na madrugada de ontem, um rapaz tendente ao entorpecimento etílico e conhecido pelo uso conceituado de cachimbos que – epifania! – não somente era um apreciador contumaz das obras de Hermann Nitsch (e de seus supostos herdeiros artísticos, os quais ainda não conheço, mas que ele prontamente se ofereceu para me mostrar) como salvou prontamente um luau segregacionista do fracasso ao atirar-se como bola de boliche contra dois homossexuais adolescentes que se chutavam com violência afetada no raiar da aurora. Todos que estiveram presentes à situação hão de concordar comigo: foi lindo!

Wesley PC>

2 comentários:

João Paulo dos Santos, o ateu disse...

suhaushauhsuahsuahsuahsuhaus

Cara, acredita que eu só lembrei desse episódio, agora, depois de ter lido esse seu texto? E viva Hermann Nitsch! abrs, João

Gomorra disse...

(risos)

Pois eu estou é mais do que agradecido a ti...

Obrigado mesmo, cachimbista!

WPC>