sábado, 13 de março de 2010

“O DESTINO DOS VELHOS (...) É ESTE: PAGAR!”

Como é que eu pude passar tanto tempo sem conhecer o gaúcho L. Romanowski?! Aliás, será que ele é gaúcho mesmo? O que significa o L. do seu prenome? Nunca havia sequer ouvido falar conscientemente deste autor e, agora, não consigo parar de pensar nele, visto que a leitura de “Ciúme da Morte” (1947), lido numa edição antiga e emprestado por um guri sedutor que trabalha comigo, está gradativamente estraçalhando minh’alma, em especial por perceber que uma obra tão intimista e extraordinária tenha sido escrita em meu País e eu não a tenha conhecido até então. Há no livro uma perfeita descrição de como surgem os gigolôs em nossa vida. Há no livro uma extraordinária emulação de como nos sentimos desiludidos profissionalmente diante das injustiças do mundo. Há no livro a demonstração perfeita de que “o amor dói”, como ouvi repetidamente nas versões de Roy Orbinson, Nazareth e Sinead O’Connor para uma mesma canção triste e exagerada. Sei muito pouco nesta vida ainda!

Wesley PC>

2 comentários:

Ay disse...

Wes, me lembrei tanto de você hoje!
aí vim dar uma passadinha por aqui
e você me manda um texto referente
a um autor de livro!Era justamente sobre isso que ia te falar...
Descobri um site que é tipo o filmow só que com livros. E as pessoas até fazem trocas!!!!!

www.skoob.com.br

beijo

Pseudokane3 disse...

Já ouvir falarem maravilhas sobre o tal do BOOKS ao contrário...

Estou correndo para lá!

WPC>