quarta-feira, 17 de junho de 2009

A HISTÓRIA É TAMBÉM UMA SUCESSÃO DE CAMADAS POPULARES SUPERPOSTAS!


Assim atesta “Salmo Vermelho” (1972), clássico do húngaro Miklós Jancsó, em que soldados, camponeses, mulheres nuas e apaixonadas, socialistas, contra-revoltosos, latifundiários insatisfeitos, diversas classes populares mesclam-se numa dança progressiva, metaforizando anos e anos de revolta do País atualmente presidido por László Sólyom.

Wesley PC>

Nenhum comentário: