segunda-feira, 22 de junho de 2009

SOBRENOME: CASTRO. VERBO: CASTRAR. PARTICÍPIO: CASTRADO


Este homem mostrado na foto cortou os próprios testículos num ato de loucura, na cidade de Feira de Santana, Bahia. Em virtudes de problemas cibernéticos, não estou conseguindo descobrir o porquê, mas lembro que uma das cenas que marcaram a minha sexualidade infantil foi justamente uma cena de auto-castração, na adaptação televisiva de uma peça de Nelson Rodrigues, em que irmão e irmã se apaixonam. Sentindo-se fortemente culpado por alimentar esta paixão, ele se dilacera. Se não me engano, morre. A irmã viva e igualmente apaixonada carregará a culpa. Alguns minutos se passaram e consegui ler a notícia inteira. Não houve explicação para o gesto do homem da foto, que não quer se identificar. Ele só disse que estava com raiva, muita raiva. Não sei se acontece com todo mundo, mas raiva acumulada e impotente gera ódio contra si mesmo. Por isso, muitas das vezes em que chorei foram de raiva. Não uso cuecas. Ainda sinto meus testículos balançando... Mas, definitivamente, o que não me falta agora é culpa!

Wesley PC>

6 comentários:

Bigato disse...

Cenas de beijos excluídas, eu vi, rs, às vezes vejo coisas de relance, infelizmente...

Gomorra disse...

A postagem mudou por si mesma...

Mas entendi a intenção...

WPC>

Gomorra disse...

É que, no filme, tem uma cena muito, muito importante, uma revelação bombástica envolvendo todas estas cenas de beijo, mas...

Não posso contar ainda!

WPC>

Bigato disse...

ardiloso...

Rafael Maurício disse...

É Engraçadinha
eu lembro dessa parte tb

Pseudokane3 disse...

Êpa... Não tinha Cristiana Oliveira neste seriado não (risos)

Suprimi propositalmente o nome do seriado... Alguém lembraria... Eis o que me excitava desde criança: a culpa!


WPC>